Bandeira nacional - Bandeira da Etiópia

Bandeira nacional  >  Bandeira da Etiópia

Bandeira da Etiópia

Ao fundo se pode ver a bandeira do movimento Rastafari, a versão ponta cabeça da bandeira da Etiópia, onde esta se basea na ordem das cores do arco-íris, onde o vermelho seria a cor acima de todas. (Devido a aliança de Deus Jah (Jeová) e os Hoemens, Gênesis 9) A bandeira da Etiópia foi adaptada a 6 de Fevereiro de 1996. É vista habitualmente sem o disco azul e o emblema. Esta bandeira é a mais influente bandeira de África, tendo dado origem a toda uma linhagem de bandeiras verdes, vermelhas e amarelas, na África e fora dela, por via de um movimento chamado "Pan-africanismo" (por isso chama-se a estas três cores "cores Pan-Africanas"), que defende a unidade de África e dos africanos e seus descendentes espalhados pelo mundo, em especial nas Américas.

Em versões anteriores, a bandeira usou-se lisa ou com vários emblemas, entre os quais se destaca o Leão de Judá.

Na bandeira nacional da Etiópia, o vermelho significa o poder e a fé, o amarelo, a igreja e a paz e o verde significa a terra e a esperança.

Imperador Manelik II (1844- 1913) que regulamentou a tricolor (Verde,Amarela,Vermelha) como a bandeira oficial da Etiópia.

Origem

A bandeira foi inspirada nas bandeiras usadas no período da Etiópia Medieval, estas por sua vez tem a sua cor devido à passagem do Velho Testamento (Gênesis 9) onde corresponderia as 3 cores superiores de um arco-íris.

Manelik II, devido aos conflitos que a Etiópia se envolviam, resolveu virar a bandeira de ponta cabeça, ficando o vermelho (sangue do povo derramado sob as guerras) em baixo da Terra (o Verde) e é por isso que a bandeira da Etiópia é a versão, cabeça para baixo, da bandeira do Reggae.

A República de Ghana foi o primeiro país a inspirar a sua bandeira na bandeira Etíope, devido à admiração a história Etíope de manter uma dinastia de 3000 anos (a dinastia Salomônica) independente mesmo quando todos os vizinhos eram dominados, um a um, durante a colonização da África (1890-1930). A República de Ghana adicionou uma estrela negra, para simbolizar também o povo negro, e a partir de Ghana, um dos primeiros países a conseguir a independência do Reino Unido, muitos países resolveram também se inspirar na bandeira Etíope.

Verso da bandeira imperial de Haile Selasie I com São Jorge matando um Dragão. No inicio do Séc XX, um pastor evangélico da América do Norte, Marcus Garvey, começou a pregar que um rei negro iria ser coroado para redmir toda a humanidade, 20 anos seguidos ele pregou isto, até que então o Ras Tafari foi coroado imperador da Etiópia, e rebatizado como Haile Selassie, fazendo que muitas pessoas na América do Norte, principalmente na Jamaica, acreditasse ser o Haile Selassie ser o Cristo Vivo, a reencarnação de Jah (Jeová) em forma humana. Esta religião era a religião de Bob Marley, que ajudou a difundir os símbolos etíopes através da música Reggae e a cultura Rastafari, entre os elementos mais difundidos na cultura popular, atual, é a própria tricolor etíope (Vermelho, Amarelo e Verde) e o símbolo do Leão Conquistar da Tribo de Judá (que era o brasão da bandeira imperial). No verso da bandeira imperial também era possível ver uma imagem de São Jorge matando o Dragão.

* Etiópia - em bandeiras do mundo
Bandeira nacional 
Bandeira da Etiópia

País - Etiópia

A Etiópia, oficialmente República Democrática Federal da Etiópia (ኢትዮጵያ ፌዴራላዊ ዲሞክራሲያዊ ሪፐብሊክ, transl. ye-Ītyōṗṗyā Fēdēralāwī Dīmōkrāsīyāwī Rīpeblīk) é um país encravado no Chifre da África, sendo um dos mais antigos do mundo. É a segunda nação mais populosa da África e a décima maior em área. Faz fronteira com o Sudão e com o Sudão do Sul a oeste, com o Djibuti e a Eritreia ao norte, com a Somália ao leste, e o Quênia ao sul. Sua capital é a cidade de Adis Abeba.

Considerando que a maioria dos Estados africanos têm muito menos de um século de idade, a Etiópia foi um país independente continuadamente desde tempos passados. Um Estado monárquico que ocupou a maioria de sua história, a Dinastia Etíope, tem suas raízes no. Quando o continente africano foi dividido entre as potências europeias na Conferência de Berlim, a Etiópia foi um dos dois únicos países que mantiveram sua independência. A nação foi uma dos apenas três membros africanos da Liga das Nações, e após um breve período de ocupação italiana, o país tornou-se membro das Nações Unidas. Quando as outras nações africanas receberam sua independência após a Segunda Guerra Mundial, muitas deles adotaram cores da bandeira da Etiópia, e Addis Ababa tornou-se a sede de várias organizações internacionais focadas na África. Em 1974, a dinastia, liderada por Haile Selassie, foi deposta. Desde então, a Etiópia foi um Estado secular com variação nos sistemas governamentais. Hoje, Addis Abeba ainda é sede da União Africana e da Comissão Econômica das Nações Unidas para a África.
Neighbourhood - País  

  •  Djibouti 
  •  Eritreia 
  •  Quénia 
  •  Somália 
  •  Sudão 
  •  Sudão do Sul 

Linguagem

Flag of Ethiopia (English)  Bandiera dell'Etiopia (Italiano)  Vlag van Ethiopië (Nederlands)  Drapeau de l'Éthiopie (Français)  Flagge Äthiopiens (Deutsch)  Bandeira da Etiópia (Português)  Флаг Эфиопии (Русский)  Bandera de Etiopía (Español)  Flaga Etiopii (Polski)  衣索匹亞國旗 (中文)  Etiopiens flagga (Svenska)  エチオピアの国旗 (日本語)  Прапор Ефіопії (Українська)  Национално знаме на Етиопия (Български)  에티오피아의 국기 (한국어)  Etiopian lippu (Suomi)  Bendera Ethiopia (Bahasa Indonesia)  Etiopijos vėliava (Lietuvių)  Etiopiens flag (Dansk)  Etiopská vlajka (Česky)  Etiyopya bayrağı (Türkçe)  Застава Етиопије (Српски / Srpski)  Etioopia lipp (Eesti)  Vlajka Etiópie (Slovenčina)  Etiópia zászlaja (Magyar)  Zastava Etiopije (Hrvatski)  ธงชาติเอธิโอเปีย (ไทย)  Zastava Etiopije (Slovenščina)  Σημαία της Αιθιοπίας (Ελληνικά)  Quốc kỳ Ethiopia (Tiếng Việt) 
 mapnall@gmail.com